8 de ago de 2011

Vento


Esse vento que agora bate
e sacode as cortinas da sala,
e bagunça os cabelos assentados,
outrora trazia consigo cheiro de vida,
carregado de esperança;
neste vento eu era criança
com fresca lembrança corrida.

Este vento visionário
descortinou tantos eus
e costurou tempos imemoráveis na cabeça
que, avessa ao tempo, não pode
traduzir seus desígnios.

E agora o vento vem,
bate e passa,
não deixa rastro, nem deixa marca,
na cabeça cheia de vento.

P.S.: Se alguém souber o autor da imagem, por favor me avise! :)

4 comentários:

  1. Um dia, quando não passávamos de crianças crescidas, você me apresentou um poema sobre música, que era tão bem elaborado, tão bonito, que me fez enxergar o quão grandioso era o seu talento... Agora este, tão inocente, e que ficou ainda mais bonito com a imagem que você escolheu, que penso ser perfeita!

    Dos 9 círculos do inferno, os 12 seguidores, aos 4 cantos do mundo.

    ResponderExcluir
  2. Dos 9 círculos do inferno, os 12 seguidores, aos 4 cantos do mundo, cantam a 6 vozes os 9 hinos.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Éam?!?