4 de fev de 2014

Video of the day

Quando ouço a palavra raridade (e no ciberespaço ouvir e ler estão semanticamente conectados), um dos significados que me despontam da mente é o casamento entre formato e conteúdo. Na música, isso tem a ver com harmonia cheia - ou 'não vazia', melodia rica e letra cativante. E eu fui arrebatada por essa união poderosa em 3 minutos de vídeo. 

É esse tipo de experiência que os amantes da música buscam; essa sensação a que somos submetidos, entorpecidos, por algo tão leve e portentoso como o som. O som é tão poderoso, que me recordo de estar entre amigos surdos que se emocionaram ao ouvir assistir a uma orquestra, porque sentiram o som. E excetuando a emoção transportada naturalmente de mãe para filho, tive a impressão de que a Sophia, minha filha com dias de vida, tenha se impressionado também com os primeiros acordes de Androginismo, dos Almôndegas, primeira banda dos talentosos irmãos gaúchos Kleiton e Kledir.

E é por causa daqueles olhões arregalados, que largaram a mamada para olhar a TV, que reapareço no Porão, digitando com o indicador essas poucas palavras.