23 de out de 2012

Lá mentos

Sempre podemos achar uma boa argumentação para justificar o gosto pela música. Alguém disse que a vida sem música seria um erro. E mesmo para eles há trilha sonora!

Eu mesma poderia contextualizar este gosto e esta prioridade na minha vida de vários modos, mas prefiro focar no mais traumático, claro: ter estudado 14 anos de piano clássico, fazer conservatório, Escola Municipal de Música, a extinta Universidade Livre de Música, estudar regência com Naomi Munakata - que entre muitas outras coisas é regente do Coral da OSESP -, estudar composição com o maluco do Arrigo Barnabé, prestar Composição e Regência na UNESP e ter bombado na terceira fase do vestibular. Bom, terminei como jornalista não sei como. Mas sempre assobiando alguma canção.


E para não dizer que não falei das flores e dos clássicos, peguei-me cantarolando - com letra e tudo e em Lá com sétima (ou A7) - uma canção tão pouco cantarolada do Mestre Pixinguinha. Há versões em ré menor, outras em sol, mas não seria lamento. Aliás, Lamentos, no plural!


Sei que já há vídeos disponíveis do fabuloso Zimbo Trio ou do MPB4 com a letra, mas arriscarei confiar na minha memória para escrevê-la, e deixo aos seres que, oxalá, visitam o Porão o áudio do próprio Pixinga e seu belo sax alto.

Morena, tem pena!
E ouve o meu lamento.
Tento em vão te esquecer,
mas ai!, o meu tormento é tanto
que eu vivo em pranto, sou tão infeliz!
Não há coisa mais triste, meu benzinho,
que esse chorinho que eu lhe fiz.

                                                     
Sozinha, morena,
você nem tem mais pena!
Ai!, meu bem, fiquei tão só.
Tem dó, tem dó de mim,
porque estou triste assim por amor de você.
Não há coisa mais linda neste mundo
que meu carinho por você.


Meu amor, tem dó!
Meu amor, tem dó!



 
E aqui um áudio incrível, dele tocando "Sofres porque queres", datado de 1919.  

13 comentários:

  1. Tem muita coisa escrita nessa postagem, e depois de ter passado pelo Twitter só consigo ler 140 caracteres.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha! às vezes a inspiração bate! Mas pelo menos ouça a música; é menor que a caixa do twitter e tão maior que as redes sociais!

      Excluir
    2. A música é linda! Às vezes você tem bom gosto... brincadeirinha

      Excluir
    3. É que a minha tessitura... rs

      Excluir
    4. Risos. Que tara por essa palavra...
      A Morgana está respirando igual a você. Linda!

      Excluir
  2. que lindo Tabita, suas palavras, a letra, a música e a sua musicalidade, sempre encontramos jeito de não perder o que é parte da nossa essência, a música está em você e transpira em todo seu caminhar, só posso desejar que ela nunca perca esse lugar tão precioso, porque faz de você uma pessoa ainda mais especial e querida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você não existe. eu já disse que você é produto de uma mente brilhante; tão real e intangível quanto a música.

      Excluir
    2. exagero dos seus olhinhos lindos!!! ;)

      Excluir
  3. Saudade do tempo que a MPB era feita por artistas, e não pseudo-intelectuais travestidos de libertários. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sir Brandt, freünd für Führer! Cada dia que passa fico mais certa de que os menos interessados em protestar são os que mais tocam a gente com sua simplicidade e talento.

      Excluir
  4. SO podia vir de voce essa sensibilidade poetica

    Beijos

    ResponderExcluir

Éam?!?