1 de dez de 2014

You Brought Me Up

Eu te entendo, meu amigo!
Até em seu último suspiro.
Mesmo sem concordar contigo,
E, perdoe, mesmo te culpando,

Pela urgência em selar seu destino,
Agora enxergo e vou seguindo.


Eu li suas palavras e me confunde,
não sei precisar quanto há de loucura, quanto há de pressa,
quanto há de tolices, quanto há de razão.
Talvez seja negação.


Eu tento exacerbar minha gratidão e retomar as poucas conversas divertidas que tivemos.
Sabe, amigo, eu não te via há muito tempo.
Sei que você não estava lá, confesso que me perdi de você.
E você não se perdeu, agora eu compreendo: você fugiu. 

E no entanto se preocupou com toda a cruz que carregava.
Sua divisão te rompeu.


Mas, amigo, fica tranquilo, agora. Já há muito para cuidar.
Você terá uma tarefa difícil pela frente; talvez mais do que esta.
Mas talvez a experiência te dê mais coragem, mais vitalidade.

E se a gente se encontrar por aí, espero poder, nem que seja como foi,
brevemente,
te dar uma palavra, um gesto, um olhar, que seja, de aprovação.


E quanto a nós, a gente se cuida. Contaremos as suas histórias e suas construções, incontáveis.
Você é um mestre, sempre será. 

Seus sobrinhos saberão quem você foi, ainda que você não tenha podido garantir isso entre seus netos. 
Mas, amigo, deixa comigo. Deixa com a vida. Ela cuida de tudo.
Eu sei, eu sei que você sabe disso.
Eu te entendo, amigo. 



14 de nov de 2014

Līberālitātis

O feriadão do nosso lance está na estrada -
Bato as mãos na janela e vejo a areia se desprender.
Na mala, as roupas de praia,
Mãos fechadas, braços cruzados a se defender.

Te tiro para dançar, um bolero bem justinho
Olhar no olho esquerdo, coração de azevinho.

Os brilhos do paetê te refletem e eu rio dessa tua pose,
Mas a noite de Perséfone me pesa sobre a fronte.

Então me visto Caetano e Gal,
eu não procuro mais o teu aval.
Apenas uso meu sorriso bronze.






13 de nov de 2014

A pampa dos meus dias

Relatos apontam “cultura machista” dentro da instituição e a pressão para que vítimas não denunciem os casos de violações 

A culpa é da vítima
Corrêa, que era titular da 1ª Vara da Comarca de Búzios, estava sem a CNH (Carteira Nacional de Habilitação), conduzia um carro sem placa e estava sem os documentos do veículo quando foi parado. Ele acusou uma das agentes da operação de desacato ao ser informado que o carro seria removido para o depósito. 


"Herdei um campo onde o patrão é rei 
Tendo poderes sobre o pão e as águas
Onde esquecido vive o peão sem leis
De pés descalços cabresteando mágoas 
(...)
Onde a ganância anda de rédeas soltas 
(...)
Eu não quero deixar pro meu filho
A pampa pobre que herdei de meu pai" 

8 de out de 2014

Alguns versos de sofreguidão

Como aprendiz do teu amor e carente da tua presença, 
me sinto abrigada por tuas palavras; 
e como objeto de sua devoção, sinto constrangimento e esperança
de que você me encontre em você dissolvida, diluída de mim,
sem as impurezas que te infeccionam.