11 de nov de 2011

"Web of one"

Na rapidez frenética que o mundo disse que a informação deve rolar, rolam as letras, rolam os critérios, roll the bones. E rolam também os conceitos do mecanismo que tornou o mundo inteiro homogêneo, e fez com que a própria ideia de distância, inatingibilidade e curiosidade pelo 'outro', pelo novo, deslizasse para a indiferença e para uma nova categoria de "ocultismo digital".

Este vídeo (que infelizmente não consegui colocar o player) mostra como os filtros da web - especialmente da Google e Facebook - restringem nossa pluralidade, intencionalmente ou não.


"No underground, no mainstream, todo mundo é moderno, todo mundo é eterno, como um relógio antigo" (H. G.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Éam?!?