8 de nov de 2011

Θήτα




Dos verdes pastos bucólicos à selva de pedra
Da mais infame putaria proferida ao pé do ouvido até o agonizante gemido de dor

Meus versos são teus
Todas as minhas virtudes e pecados são teus

Meu amor mais devoto e meu ódio mais arraigado
A engrenagem do meu subsistema e a minha brisa mais louca

São teus
Todas as minhas virtudes e pecados são teus

O beijo que procuro em outros lábios e a minha solidão altista
Das vicissitudes e predileções até minha submissão

Meus versos são teus
Todas as minhas virtudes e pecados são teus

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Éam?!?