3 de jan de 2015

Vozes das Profundezas


Se pudessem os céus transbordar
E do firmamento jorrar estrelas,
Se pudessem os mares evaporar
E de suas profundezas extremas


Surgissem vozes dispersas no vento
Nos dizendo em silêncio que direção seguir
Por rotas ignoradas pelo conhecimento
E que guardam os profundos segredos do porvir


Ouviríamos apenas o canto dos pássaros
Esperando que sua triste melodia
Pudesse vencer as barreiras da agonia
E romper as correntes do torpor...


E quando esse dia chegar
Esses dois pássaros que somos
Poderemos decifrar os sonhos

E um ao outro dedicar o nosso amor...

(Pendragon, 2008)

*Este poema foi escrito por um leitor do blog Torre no Porão. Pendragon é um pseudônimo.

Se você também deseja publicar, envie seu texto para tabs.bolachas@gmail.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Éam?!?