9 de mai de 2013

Osum

outra manhã, me percebo vivo
tal folha ao vento, inda o peito aduma
te vejo ave, vejo areia em ara

te vejo homem, toda enluarada

percurso brenha paro na piaçaba 
clareira e prece, olhos escondidos
recebe o corpo, voz em toada


rasgo o algodão do rancor querido
retalh o pan o suor en água
reluto o gume do corte antigo
colore as mãos o vermelho sara





Porque hoje eu tô Remanso;
porque essa menina foi um achado na êmepêbê;
porque água de benzê: alcohol só para desinfetar.

3 comentários:

  1. MULHER

    Um aroma suave
    exalou das mãos do Criador,
    quando seus olhos contemplaram
    a solidão do homem no Jardim!
    Foi assim:
    o Senhor desenhou
    o ser gracioso, meigo e forte,
    que Sua imaginação perfeita produziu.
    Um novo milagre:
    fez-se carne,
    fez-se bela,
    fez-se amor,
    fez-se na verdade como Ele quer!
    O homem colheu a flor,
    beijou-a, com ternura,
    chamando-a, simplesmente,
    Mulher!

    ResponderExcluir
  2. MULHER


    Um aroma suave
    exalou das mãos do Criador,
    quando seus olhos contemplaram
    a solidão do homem no Jardim!

    Foi assim:
    o Senhor desenhou
    o ser gracioso, meigo e forte,
    que Sua imaginação perfeita produziu.
    Um novo milagre:
    fez-se carne,
    fez-se bela,
    fez-se amor,
    fez-se na verdade como Ele quer!
    O homem colheu a flor,
    beijou-a, com ternura,
    chamando-a, simplesmente,
    Mulher!

    Ivone Boechat

    publicado no meu livro Amanhecer-3a.ed Reproart-RJ

    ResponderExcluir
  3. Sou mulher

    Ivone Boechat (autora)

    Sou mulher,
    com as aflições e a inspiração do poeta,
    o esplendor e a serenidade das mães!

    Sou uma canção de ninar,
    experimentadora dos sabores do tempo,
    estrela da constelação familiar!

    Sou letra e música da canção
    do mais puro sentimento
    que a mulher é capaz de cultivar!

    Sou feita síntese do segredo de amar,
    tenho fases minguante e cheia,
    assim como o luar!

    ResponderExcluir

Éam?!?